Agricultura

Epamig e Incra selam convênio

Verba de 2 milhões de reais vai viabilizar curs técnico em agropecuária em Pitangui
Ana Elizabeth Diniz
Dezembro/Janeiro -

Epamig/DivulgaçãoO Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e  a Epamig firmaram  convênio para realização de curso técnico por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). O ato de assinatura ocorreu no Instituto Técnico de Agropecuária e Cooperativismo (Itac), em Pitangui (MG), durante a abertura do Encontro do Pronera: Promovendo a Política de Educação do Campo.

O convênio de 2 milhões de reais vai viabilizar o  curso técnico em agropecuária na Epamig/Itac para 160 estudantes oriundos da reforma agrária e da agricultura familiar,  em parceria com a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Minas Gerais (Fetaemg), entidade que apresentará a demanda de candidatos.

Durante a solenidade, o diretor de desenvolvimento de projetos de assentamento do Incra, Ewerton Giovanni dos Santos, ex-aluno do instituto, enalteceu a importância da parceria. “Essa iniciativa representa a retomada do Pronera em Minas Gerais. Aproveita a estrutura de referência da Epamig para formar assentados e agricultores familiares”.

Santos destacou o diferencial da pedagogia da alternância – metodologia que prevê o ensino em tempo-escola e tempo-comunidade. “Significa que os alunos aprenderão técnica e didaticamente as tecnologias para a agricultura. A expectativa é de uma capacitação de alto nível e de qualidade, possibilitando que os estudantes retornem para suas comunidades e consigam desempenhar o papel técnico na propriedade ou no lote, apoiando o seu desenvolvimento”, completou o diretor.

Para o presidente da Epamig, Rui Verneque, o convênio é uma forma de dar continuidade ao trabalho da instituição, expandido suas atividades e trazendo benefícios para a região. “Esse modelo de curso poderá trazer grandes contribuições, porque o aluno pode levar conhecimento para sua comunidade e retornar trazendo as demandas para a sala de aula. Além disso, a parceria vai proporcionar um dos itens mais decisivos do apoio à agricultura familiar que é a tecnologia para produção de alimentos e o acesso à ela”, afirmou.

De acordo com o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, o Pronera é uma modalidade diferenciada para atender o público da agricultura familiar, que deve ser ampliada no Estado.  “O que a gente precisa para melhorar a situação do campo é a educação. Dar oportunidade de conhecimento aos filhos de assentados, jovens, pais e mães. Temos duas armas poderosas: a agricultura que produz alimentos e a educação para sair da escuridão, por isso precisamos investir no Pronera”, observou ele.

O convênio – A parceria para instalação do novo curso prevê o investimento de R$ 1.984.000,00 por parte do Incra e contrapartida de R$ 40.500,00 da Epamig. Ao todo, serão quatro turmas de 40 estudantes cada uma.

O processo seletivo dos candidatos será realizado entre dezembro e fevereiro. Poderão se inscrever beneficiários da reforma agrária e do programa de Crédito Fundiário, acampados cadastrados pelo Incra, quilombolas e extrativistas – público previsto pelo Pronera. “O Incra está oportunizando a manutenção no Instituto dos futuros alunos que são do meio rural, fortalecendo o ensino rural profissionalizante”, comentou a diretora do Itac, Luci Lobato.

O cursotTécnico em agropecuária subsequente visa formar profissionais que já possuem o ensino médio para trabalharem em suas áreas de atuação. Seguindo Pedagogia da Alternância, os estudos serão divididos em cinco tempos-escola, quatro tempos-comunidade e dois períodos de estágio supervisionado, totalizando 1.658 horas de aula.

O curso terá duração de dois anos. As aulas iniciam em 2017, em diferentes períodos: o primeiro em março, depois abril, maio e o último em junho.

 




Comentários